• equimacon

Desperdício na obra? Saiba como reduzir!

Atualizado: 13 de Fev de 2019





Estima-se que a construção civil nacional gera, em média, uma perda de 5%. Para quem considere esse percentual não tão grande, financeiramente o número pode surpreender. O desperdício é considerado um dos vilões no setor de construção civil. Além do prejuízo financeiro, o volume de entulho produzido pode prejudicar o meio ambiente e vai contra o princípio da sustentabilidade.


A boa notícia é que, adotando algumas medidas simples, é possível diminuir o desperdício na hora de construir ou reformar. Antes e durante o processo, você consegue minimizar os desperdícios e garantir maior economia em sua obra. Para isso é preciso ter cuidado com a aquisição e o armazenamento de materiais, além de contratar profissionais qualificados. Esses aspectos podem fazer toda a diferença para uma reforma bem-sucedida e sem desperdícios.


Conheça agora algumas medidas fundamentais que ajudarão nessa tarefa, proporcionando melhor aproveitamento e economia na obra.


Projeto e planejamento


Para minimizar a perda de materiais, o trabalho começa no planejamento. Faça o projeto da obra, mesmo que seja só um esboço. Isso ajuda a prever as quantidades necessárias, facilita o orçamento e, consequentemente, diminui os riscos de desperdício.


Defina os objetivos de sua reforma, o que será retirado ou acrescentado ao local. O planejamento bem feito reduz o risco de se arrepender de alguma mudança e ter de destruir o que já foi feito, desperdiçando tempo e dinheiro.


A falta de projeto adequado resulta no cálculo incorreto de materiais e mão-de-obra, gerando distorções de custos e cronogramas. O material empregado deve ser especificado e quantificado para a aquisição do lote seja feita de uma única vez, garantindo sua homogeneidade e exata quantidade.


A compra pode ser programada de acordo com o andamento da obra, em etapas; é preciso um bom controle e acompanhamento para não ter gente parada por falta de material e nem criar novos novos gastos com frete. O operário prioriza a sua produtividade, portanto, usualmente, pode pedir material a mais, para garantir que não haverá nenhuma parada durante o serviço. Não ter um projeto também pode acarretar em erros de execução de medidas e detalhes. Isso gera quebras e remendos não planejados e custos indiretos.


A lógica é simples: quanto mais detalhes antes, menos perda depois.


Mão-de-obra


Contratar mão-de-obra qualificada e trabalhadores conscientes é imprescindível. Procure referências sobre o desempenho em obras anteriores. Se informe se deixavam a obra limpa, desperdiçavam material, se mantinham tudo organizado. Se possível, procure pessoal capacitado, que passou por algum centro de treinamento.


No site da EQUIMACON você encontra uma lista ordenada por categorias, para te ajudar na busca por um profissional na área de construção. Escolha dentre o leque de opções e não deixe de buscar as referências.


Materiais


O armazenamento adequado do material adquirido, é fundamental. Escolha um local ventilado e protegido do sol forte, da chuva e da umidade e, dessa maneira, evite que algo se perca (como areia, cimento, cal e argamassa) e tenha de ser comprados novamente.


Outro fator considerável é que algumas pessoas levam em consideração o preço e a beleza dos produtos na hora da compra, mas, em alguns casos, acabam negligenciando a qualidade; o que pode resultar em perda do material ou retrabalho.


Tente armazenar o material o mais próximo possível do lugar onde será utilizado; o deslocamento aumenta o risco;


Tijolos e telhas devem ser guardados em pilhas, para evitar quebra;

Concreto, argamassa e gesso devem ser preparados e utilizados no mesmo dia, afinal, as

sobras não podem ser guardadas;

Recorte de cerâmica, sem planejamento adequado, pode resultar em 50% de perda;

Vigas precisam ter um bom cálculo de espessura, de acordo com as de alvenaria para evitar que seja necessário o preenchimento posterior com argamassa;

O ferro se encontra disponível em barras de 12 m de comprimento - se a obra prevê pilares

de 3 m, não gera sobra;

As formas para estrutura de concreto - principalmente lajes - podem ser feitas com chapas de madeira que normalmente apresentam desgaste e baixo índice de reutilização, devido aos danos causados durante a montagem, desmontagem e transporte. A proteção das bordas e o razoável enrijecimento, obtido com o uso de requadro com perfis metálicos seção "U", contribuem bastante para aumentar o número de reutilizações das chapas;


O desperdício pode também estar alocado de forma invisível em materiais incorporados à obra, alojado em pilares, lajes, emboços e rebocos maiores e mais grossos do que o necessário – pontos nos quais vale dedicar atenção. O resultado numérico é considerável, a “sobreespessura” pode representar cerca de 80% da perda. Esse consumo excessivo tem origem em diferentes fases da obra: planejamento, execução ou utilização. Uma construção que começa com erros básicos de níveis e prumos acarreta desperdício em contrapisos e rebocos para correção dos pisos e paredes.


Organização





Dois princípios valem sempre: limpeza e arrumação. Organização é fundamental.


Quanto mais organizado o canteiro, menor a chance de perda de material. O básico é mantê-lo preservado de furtos, intempéries, riscos de acidentes e em local de fácil acesso. Se vários profissionais trabalham ao mesmo tempo – pedreiro, encanador, assentador - a obra tem de oferecer meios físicos para um não atrapalhar o outro.


É importante estabelecer um espaço definido para ser utilizado como corredor e passagem. Assim, o material não precisa ser deslocado de um lado para o outro o tempo inteiro.


Compre materiais frágeis como azulejos e cerâmicas o mais próximo da data de utilização, já que tem alto risco de quebra.


As tintas precisam estar devidamente tampadas, os pincéis devem estar limpos.


Cuidado também com o carrinho de pedreiro: mal preparado, pode criar uma trilha de blocos quebrados do local até a obra.


Vale ressaltar que, com canteiros bagunçados, você não consegue visualizar a quantidade dos materiais, o que pode te induzir a fazer compras desnecessárias.


Há ainda o risco de furto. Essa maneira desagradável de perder material pode ocorrer em qualquer tipo ou tamanho de obra.


Canteiros onde não há espaço suficiente para todo o material podem sofrer mais com isso. Deixar os produtos na rua além de ocasionar furtos, pode resultar em multas da prefeitura (caso atravanquem a passagem). O ideal é ter o muro pronto o mais cedo possível – ou então uma estrutura temporária, mas resistente. Se a empreitada é de grande dimensão e há materiais nobres, contrate um zelador ou um segurança para tomar conta do lugar.


Seguindo essas orientações, você evita o desperdício de materiais, mas também de tempo, energia e dinheiro.


Sua reforma se torna mais tranquila, pois os gastos ficam dentro do previsto e a perda de materiais é reduzida. É essencial que você reserve um tempo no planejamento e acompanhamento dos processos. Como consequência, você realizará uma reforma muito mais econômica e com qualidade.


Fontes: Forum da Construção, Construção e Reforma, Ampalu, TendTudo, Blog da Obra


#desperdícionaobra #economia #construção #canteirodeobras #gastoconsciente

22 visualizações

(31) 3835-8090

(31) 3835-8080

  • Facebook
  • Instagram
  • Pinterest
  • YouTube

0800  026  8080

INSTITUCIONAL

PROFISSIONAIS DA OBRA

FACILIDADES E SERVIÇOS

SOBRE A LOJA

MATRIZ: Av. das Rosas, 23 - São Pedro

FILIAL: Rua Platina, 236 - Major Lage de Baixo

Itabira - MG

©2019 by Equimacon Materiais de Construção. Proudly created with Wix.com